domingo, 20 de dezembro de 2015

um texto muito pertinente!!!

Quando nós queremos muito uma pessoa, nós tendemos a enganar-nos a nós próprios. Nós tentamos encaixar aquele outro ser humano em posições que nunca foram dele. Nós clamamos ao universo para um sim em algo que já começou destinado ao não. Nós queremos, e então batemos o pé e fazemos birra como uma criança para conseguir. Mas um dia nós percebemos que amor tem que ser uma via de sentido duplo. Amor tem que ser fácil, tem que ser bom, tem que ser complemento, tem que ser ajuda. Amor que é uma luta constante é sofrimento. Amor que rebaixa é dor. E então nós aprendemos que amor que não é amor, não encaixa, não embeleza, não serve.
Fica com alguém que não tenha conversas dúbias. Que não te enrole. Que não tenha meias palavras. Que não dê desculpas. Que não crie barreiras no que deveria ser fácil e simples. Fica com alguém que saiba o que quer e que queira agora.
Fica com alguém que te assuma. Que ande ao teu lado com orgulho. Que te apresente aos pais, aos amigos, ao chefe, ao empregado de limpeza da firma. Que segure a tua mão ao andar na rua. Que não tenha medo de te olhar apaixonadamente na frente dos outros. Fica com alguém que não se importe com os outros.
Fica com alguém que não deixe existir zonas nebulosas. Que te dê mais certezas do que perguntas. Que apresente soluções antes mesmo dos questionamentos aparecerem. Fica com alguém que te seja a solução dos problemas e não a causa.
Fica com alguém que não tenha traumas. Que não tenha assuntos mal resolvidos. Que saiba que para ser feliz, tem que deixar o passado passar. Fica com alguém que só tenha interesse no futuro e que queira esse futuro contigo.
Fica com alguém que te faça rir. Que te mostre que a vida pode ser leve mesmo em momentos duros. Que seja o teu refúgio em dias caóticos. Fica com alguém que quando te abraça, o resto do mundo não importa mais.
Fica com alguém que te transborde. Que te faça sentir que tu vais explodir de tanto amor. Que te faça sentir a pessoa mais especial do universo. Fica com alguém que dê sentido a todos os clichês apaixonados.
Fica com alguém que faça planos. Que veja um futuro ao teu lado. Que te carregue para onde for. Que planeie contigo um casamento na praia, uma casa no campo e um labrador no quintal. Fica com alguém que apesar de saber que consegue viver sem ti, escolha viver contigo.
Fica com alguém que não se esconda. Que não te esconda. Que cada palavra seja direta e clara. Que não dê brechas para o mal entendido. Que faça o que fala e fale o que faça. Fica com alguém cujas palavras complementam as suas acções.
Fica com alguém que te admire. Que te impulsiona para a frente. Que te apoie quando ninguém mais acreditar em ti. Que te ajude a transformar sonhos em realidade. Fica com alguém que acredite que tu és capaz de tudo aquilo que queiras.
Fica com alguém que tu não precises convencer de que tu vales a pena. Que não tenha dúvidas. Fica com alguém que te olhe da cabeça aos pés e saiba, sem hesitar, que és tu e só tu.
Fica com alguém que te faça olhar para trás e agradecer por não ter dado certo com ninguém antes. Fica com alguém que faça não existir mais ninguém depois.

sábado, 14 de novembro de 2015

Diva


Realidade...









Há quem pegue uma bandeira 
De pano de algodão 
E passe o dia na praça 
Com a bandeira na mão 
Pedindo a quem é honesto 
Para votar num ladrão.

 Autor: José Ribamar... 


quinta-feira, 15 de outubro de 2015

O que é ser professor? Algumas reflexões





Rubem Alves, em um dos seus belos textos, nos fala do que significa ser educador, considerando-o em relação ao significado do ser professor como profissão. Em suas reflexões, aparece de forma clara a distinção entre ser professor e ser educador nos nossos dias, ou em um mundo capitalista em que tudo gira em torno do lucro. Assim, entre nós, já não podemos falar de professor como educador, pura e simplesmente, mesmo quando poderemos falar de educador como professor. Não quero aqui fazer um estudo do seu texto. Por isso vou me limitar às questões que ele apresenta de forma mais ampla, sem entrar nas minúcias de suas palavras. Dizer apenas que educado é aquele que tem em vista o educando, que pensa no crescimento deste e, em razão disto, tudo faz para que ele possa crescer, antes de tudo, como gente. Por isso, quem educa, ama, fazendo tudo com amor para que possa contar com mais alguém no mundo firmando-se como um autêntico ser humano.
Professor, para Rubem Alves, apenas uma profissão, conforme posto nos dias de hoje. Por isso, serve ao sistema capitalista, valendo tanto quanto uma máquina ou um outro instrumento que é usado na produção de uma mercadoria. A educação, como vemos, está posta aqui como uma mercadoria. Nada mais que isso. E assim como toda mercadoria, tem sua destinação, seja ela para o consumo ou para a revenda, isto é, a comercialização. Então, do professor, exige-se aquilo que se exige de todo operário na linha de produção, operando como máquina ou instrumento necessário à produção que deve ter por fim não a satisfação de necessidades humanas, em seu sentido mais amplo, mas visando tão-somente a acumulação de capital nas mãos dos proprietários dos meios de produção. Bom: podemos fazer profundas reflexões a partir desse entendimento. Mas vamos pensar no que possa significa, de forma objetiva, essa forma de conceber o professor, em sua diferença em relação ao educador.
Certamente, diferentemente do educador, o professor está atento ao compromisso que ele tem com o sistema, representado, na escola, pelo sistema educacional que, por sua vez, está vinculado ao sistema político e econômico do Estado. Por isso, não se trata de atender os interesses dos educandos, mas dos que comandam esse sistema, seja na condição de governo ou de comandantes da economia e da política do País. Neste sentido, precisamos perguntar sobre o que sustenta, nos dias de hoje, está lógica que faz do professor apenas um instrumento nas mãos desses indivíduos que comandam a política e a economia. Absorvidos por essa lógica, muitos são os que, ao exercerem a profissão na condição de professor, são cumpridores de tarefas, mas não educadores. Estou me referindo aqueles que, como diz com outras palavras Rubem Alves, são pontuais, expositores de conteúdo, que repassam na íntegra os planos de aulas para os alunos, conforme exigência da instituição, não segundo o que seja pertinente aos educandos. Pouco importa se há a assimilação dos conteúdos, se há ou não aprendizagem necessária à formação humana lado a lado com a formação profissional, quando for o caso. O que importa é servir à instituição segundo as exigências dela.
Em meios às muitas reflexões que se pode fazer disso, em um dia dedicado ao Professor, fico imaginando no que é preciso fazer, e no que de fato fazemos, quando alguém se coloca como educador ao exercer a profissão de professor. Certamente temos muito a dizer sobre isso, mas apenas querendo aqui chamar a atenção para o que possa significar, de fato, ser educador em um mundo como o nosso, eu gostaria de trazer para a discussão as relações que estão estabelecidas entre o sistema financeiro internacional que dá sustentação hoje ao mundo capitalista, onde o Estado tem ficado cada vez mais reduzido a favor dos interesses dos monopólios dos grandes grupos econômicos representados pelos banqueiros internacionais que têm seus discípulos nos sistemas financeiros nacionais representados pelos Bancos também nacionais. Neste sentido, consideramos os empresários que se vinculam a esse sistema e se fazem representantes do povo através dos processos eleitorais que colocam pessoas na condição de parlamentares ou executivos em termos de governo, em todas as esferas do poder. Entre esses empresários estão aqueles que se ocupam com o sistema educacional, que dão sustentação às escolas, sejam elas privadas ou públicas, para que todas juntas, obedecendo às diretrizes que refletem os interesses das organizações financeiras mundiais, nada mais façam que operar no sentido de que a educação seja mais um adestramento a serviço desses interesses. Com vistas nisso, falamos dos empresários que estão à frente dos estabelecimentos de ensino, visando acima de tudo o lucro, seja de uma forma direta, que se configura pelo que se paga para as diferentes formações profissionais, independentemente de sua qualidade, seja de forma indireta, preparando os que deverão servir às instituições financeiras como mão-de-obra qualificada. O que menos conta, se é que conta, é a formação humana, aquela que é visada pelo educador, certamente reprovado como professor, como bem o disse Rubem Alves no texto referido.
Essas poucas reflexões nos permitem pensar no significado dos cortes de verbas para a educação, bem como para os serviços públicos em geral, assim como nos levam a considerar todo investimento do governo no ensino privado, seja no seu plano legislativo ou executivo. As Emendas Constitucionais propostas no Congresso Nacional, no Brasil de hoje, apontam muito bem nessa direção. E isso diz das estreitas relações entre a privatização do ensino e os organismos financeiros internacionais representados pelo FMI e o Banco Mundial. Em meio a tudo isso, o que podemos dizer do Professor, quando insiste em ser antes de tudo educador, visando os interesses do educando, desdobrando-se em suas exigências para que ele cresça como gente, e não como uma peça a mais na engrenagem da produção capitalista sob o comando desses organismos. 


Cajazeiras, 15 de outubro de 2015
(Dia do Professor)
Manoel Dionizio Neto
(Professor/CFP/UFCG)

segunda-feira, 12 de outubro de 2015

Crianças ontem... Adultos hoje... Idosos amanhã...


Hoje bateu saudade da infância... não por causa da data, mas, ao ver principalmente a foto. 
Minha infância sempre foi cheia de cores, cheiros e sabores..., cheia de rabiscos coloridos, de pinturas nos cadernos... adorava fazer desenhos e pintar principalmente. Hoje não mais... perdi o jeito de colorir.... crescer as vezes requer doses bastante carregadas de cores cinzas, tons pasteis, preto e branco... cores sóbrias de preferência.
Os cheiros sempre foram muito significativos pra mim... perfumes, algodão-doce, pipocas, chicletes e companhia... mas nada que se compare ao sabor... Hoje mais do que nunca sinto saudade do Jambo "roubado" na casa das minhas tias no Jardim 13 de maio, em João Pessoa... aos domingos sempre íamos para lá e não subir no pé de Jambo, sinceramente, não era domingo... 

Descalça, correndo a casa toda... na inocência dos dias que passava enquanto criança.. 

EU TIVE UMA INFÂNCIA FELIZ!!!!
 













sexta-feira, 9 de outubro de 2015

Estamos de olho!!!


Valor de um sorriso...







1- Não custa nada rende muito;
2- Enriquece quem o recebe, sem empobrecer quem o dá;
3- Dura somente um instante, mas seus efeitos perduram para sempre;
4- Ninguém é tão rico que dele não precise; 
5- Ninguém é tão pobre que não possa dar a todos;



6- Leva a felicidade a toda parte; 
7- é símbolo de amizade, da boa vontade, é alento para os desanimados, repouso para os cansados, raio de luz para os tristes;
8- Não se compra e nem empresta;
9- Nenhuma moeda do mundo pode pagar o seu valor;
10- Não há ninguém que precise de um sorriso com aquele que não sabe mais sorrir.

 

domingo, 13 de setembro de 2015

uma prece

Vós sois o seguro asilo dos pecadores penitentes e assim tenho razão para recorrer a Vós. Sois Mãe de misericórdia e por este título não podeis deixar de enternecer-Vos à vista das minhas misérias. Sois, depois de Jesus Cristo, toda a minha esperança, e por esta razão não podeis deixar de reconhecer a terna confiança que tenho em Vós. Fazei-me digno de chamar-me Vossa filha para que possa confiadamente dizer-Vos: mostrai que sois minha Mãe!

Amém.


cure aquele que precisa..... reestabeleça sua saúde o mais rápido possível...


segunda-feira, 31 de agosto de 2015

Co-Autoria

Quem o conhece sabe do grande ser humano e do grande profissional que é o Prof. Dr. Benedito!!!
Para mim é uma grande honra fazer parte deste momento mais que merecido...
Estou agradecida a vocês pela co-autoria e não sei neste instante como retribuir tanto carinho, mas é claro que encontrarei uma maneira de fazê-lo.



"Benedito Vasconcelos Mendes é, de fato, uma das maiores autoridades quando o assunto é semiárido!" 

domingo, 2 de agosto de 2015

o encontro

e depois de 6 anos....

o reencontro... feliz em saber que todos estão bem...


#amizadequenuncamorre :)

A ÉTICA NOSSA DE CADA DIA






Marcela Ferreira Lopes

 
Em um primeiro momento a palavra ética é originada do grego – ethos - que significa modo de ser, caráter. No latim significa costumes que posteriormente derivou-se a palavra moral.
Ética constitui-se em um conjunto de princípios, valores e condutas que rege todo ser humano, independente de cor, raça ou credo. Ética e moral não são a mesma coisa, porém são correlatas; enquanto que ética é o princípio, moral constitui a prática deste princípio. Pode-se perceber que o interesse pela ética sempre foi de grande relevância na história da humanidade. Atualmente aparece em constantes discussões em consonância com a realidade social na qual o país se apresenta. A ética é posta em destaque, principalmente nas mídias, quando o assunto é corrupção, transgressão das leis, roubo do patrimônio público e seu uso/prática se faz cada vez mais pertinente, o que nos ajuda a sobreviver socialmente. Para que isso ocorra é preciso que haja respeito, caracterizado como um princípio básico. Não existem pessoas sem ética. Na realidade existem pessoas antiéticas, aquelas que são contrárias a uma ética compartilhada ou aceita por um determinado grupo.
Mediante a isso estamos em constantes dilemas, caracterizadas como pilares fundamentais da ética: “Há coisas que eu quero, mas não devo. Há coisas que eu devo, mas não posso. Há coisas que eu posso, mas não quero” (CORTELLA, 2012, p. 107). Nas palavras de Cortella temos grandes dificuldades para responder estas e outras indagações e, mais ainda, a juventude que vive o presente na efervessência do momento, confundindo muitas vezes desejos com direitos. Esses momentos são constituídos de erros e acertos, quando se aprende através de constantes socializações.
Partindo desse princípio, a escola tem um papel fundamental na formação do ser humano. A ética, ora apresentada como tema transversal, deve urgentemente ser posta na forma de disciplina, para que sejam enaltecidos os valores humanos presentes na sociedade, bem como deve estar presente através de um código de ética na formação de professores. De acordo com Paulo Freire (1996, p.52) “só os seres que se tornaram éticos podem romper com a ética”. Por isso é de importância ímpar tomar, a todo o momento, atitudes de respeito, cooperação e solidariedade para a construção significativa de uma sociedade justa, igualitária e democrática.
  Nesse sentido a ética está presente de forma constante e indissociável em nossas vidas. Na atual sociedade que se apresenta marcada principalmente pela competitividade, pelo individualismo, há uma falta de valores e condutas que priorizem o bem estar coletivo proporcionando assim, uma evolução de pensamento de todos os indivíduos que constituem qualquer determinado segmento. É preciso que cada pessoa reflita sobre o real papel da ética na vida de cada um e na sociedade em geral.  
                                                                                               
Referências:
CORTELLA, Paulo Sérgio. Qual é a tua obra?: inquietações propositivas sobre gestão liderança e ética. 19. Ed. – Petrópolis, RJ: Vozes, 2012.  
PAULO, Freire.  Pedagogia da autonomia: saberes necessários á prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

quinta-feira, 2 de julho de 2015

o amor....

extraído da página do ator Alexandre Nero....   #fã

OS VÁRIOS “MUNDOS” DENTRO DO UNIVERSO “RIBAMARIANO”...



o primeiro prefácio a gente nunca esquece!!!  
escrito para a obra "solidão noturna " do poeta José Ribamar...




Marcela Ferreira Lopes[1]

A emoção que sinto no momento que escrevo, é de verdadeira admiração aos poetas! Verdadeira fonte de conhecimentos que basta uma pequena dose de inspiração, concentração, e o poema surge com toda a sua beleza e esplendor.  Poemas são geralmente versos, são várias letras que juntas contém ritmo, métrica e sentido. Que adoçam a boca de quem as profere, que educam a audição. Palavras que carregam sentimentalismos, denúncias, clamores, sabores ideológicos enfim, uma mistura de tudo o que há de melhor que o poeta traz em seu âmago mais profundo da alma.
 Mais especificamente em Solidão Noturna é observável em cada página que segue que há uma ampla diversidade temática acompanhada de profunda sensibilidade, transitando desde amores idealizados, reconhecimento, desejos, sonhos, morte e realidade. O autor mais uma vez, consegue transmitir para os leitores, o verdadeiro sentimento de satisfação ao ler poemas. Poemas/versos estes que se apresentam de forma bastante coesa e concisa.
Cinquenta e seis poema compõe a coletânea marcada por expressiva amálgama em que se cristaliza sobremaneira subjetividade, divagações, compreensões, telurismo e as mais diversas manifestações do espírito humano em sua constante busca a fim de traduzir segredos e mistérios da existência.
Poema Mudo suscita melancolismo e desilusões de uma alma aflita que urge enfrentar desilusões que assinalam a existência humana independente e espaço ou tempo.
Solidão Noturna, cujo título à própria coletânea se expressa enquanto sentido literal revela profundo pessimismo ao invocar a juventude do poeta enquanto parâmetro a se considerar como padrão aceitável do próprio existir fundamentado em fase áurea que o tempo levou e não volta mais.
Refém do Pensamento destaca ternura quixotesca por uma ilusória musa inspiradora, a qual conteria em verdade uma utopia, inatingível, fruto da imaginação do poeta em seus devaneios.
Se os Túmulos Falassem revela negativismo perante a escatologia da existência humana material, marcada, em diversos momentos, por atitudes menos dignas em vida e que mesmo destino fomenta a deposição da matéria.
Poemas dignos de louvores compõe a coletânea ribamariana, pois o nobre representante da cultura popular em solos potiguares enaltece o sentido de resistência que enobrece a poesia surgida do povo e para o povo.     
Aproveito a oportunidade para agradecer ao nobre amigo Ribamar que me convidou para prefaciar sua mais nova obra. Recebi tal convite, com grande alegria e imensa satisfação, porém confesso a existência de limitações, por nunca ter escrito nada acerca do tema. É uma verdadeira alegria pela oportunidade dada a mim em poder comentar acerca deste universo poético significativo.
Nesse sentido, recomendo a todos- sem distinção- a leitura desta obra e desejo ao autor, muito sucesso no que se refere a este novo “mundo” dentro do universo “ribamariano”!...   



                                                                                        Marcela Lopes
Escrito em junho de 2015, na terra de Padre Rolim, sertão da Paraíba.




[1] Graduada em Geografia pela UFCG/CFP, Especialista em EJA com ênfase em Economia Solidária UFCG/CCJS, Graduanda do curso de Pedagogia UFCG/CFP, Membro do grupo de pesquisa Formação de Professores, Educação, Cultura e Sociedade (FORPECS).

sexta-feira, 5 de junho de 2015


é melhor ficar quieto(a)...

"não grite sua felicidade alto demais!!! a inveja tem sono leve..."


Existem coisas que foram feitas para não serem contadas, muito menos postadas !!! Quem ostenta despenca... e como despenca!!!
 
 
 
 

segunda-feira, 27 de abril de 2015

a voz do silêncio

Simples, rápido! E quanta força!
Martha Medeiros
Imediatamente me veio à cabeça situações em que o silêncio me disse verdades terríveis pois, você sabe, o silêncio não é dado a amenidades. Um telefone mudo. Um e-mail que não chega. Um encontro onde nenhum dos dois abre a boca. Silêncios que falam sobre desinteresse, esquecimento, recusas.
Quantas coisas são ditas na quietude, depois de uma discussão. O perdão não vem, nem um beijo, nem uma gargalhada para acabar com o clima de tensão. Só ele permanece imutável, o silêncio, a ante-sala do fim. É mil vezes preferível uma voz que diga coisas que a gente não quer ouvir, pois ao menos as palavras que são ditas indicam uma tentativa de entendimento.
Cordas vocais em funcionamento articulam argumentos, expõem suas queixas, jogam limpo. Já o silêncio arquiteta planos que não são compartilhados. Quando nada é dito, nada fica combinado. Quantas vezes, numa discussão histérica, ouvimos um dos dois gritar: “Diz alguma coisa, mas não fica aí parado me olhando!” É o silêncio de um mandando más notícias para o desespero do outro.
É claro que há muitas situações em que o silêncio é bem-vindo. Para um cara que trabalha com uma britadeira na rua, o silêncio é um bálsamo. Para a professora de uma creche, o silêncio é um presente. Para os seguranças de um show de rock, o silêncio é um sonho. Mesmo no amor, quando a relação é sólida e madura, o silêncio a dois não incomoda, pois é o silêncio da paz.
O único silêncio que perturba é aquele que fala. E fala alto. É quando ninguém bate à nossa porta, não há recados na secretária eletrônica e mesmo assim você entende a mensagem.


segunda-feira, 6 de abril de 2015

#só acho!!!!

Quem ama não sente ciúmes, pois quem sente ciúmes é uma pessoa insegura e amar também é ter confiança no seu próximo!!! 
     Harumy Yamaguchi Fernandes

(mini) desabafo



Não é fraqueza...  é apenas o último suspiro que um amor está dando, depois de vários momentos turbulentos que já fizeram parte da nossa história.


Não é medo... e pode ser talvez;

Pelas constantes e ininterruptos algozes ameaçadores, difamações, de dor, de agonia que passei e venho passando...


Lados de uma história que tenta em não concluir, pedaços de momentos, mosaicos históricos que não se vão...
Por continuar incompreendida...  é melhor parar por aqui...

 

                                                         Por acharem que manipulo através de palavras...
 é melhor parar por aqui...

 

Meu coração agora se cala, se despedaça se fragmenta!!!!

                                                                                                           Esvazia-se...

 

Sei que o que sentia por mim era verdadeiro...

Eu também senti a mesma coisa, do mesmo jeito!

 

 


E você sempre estará guardado em meu coração...

                                             Pelo menos no coração ninguém poderá tirar você de mim...